curcuma

Sorry, this entry is only available in European Portuguese and European Spanish. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in this site default language. You may click one of the links to switch the site language to another available language.

Propriedades

A Curcuma é uma raiz que pertence à família do gengibre, originária do sudeste asiático, também conhecida erradamente por açafrão.
Ela aparece referida nos textos médicos da Índia, China, Tibete e Médio Oriente, já há mais de 2.000 anos, e é um dos elementos mais usado na Medicina Ayurvédica, que a utiliza em diversos tratamentos.

Quando se utiliza o termo “ Curcuma “ é para fazer referencia à curcuma longa, curcuma doméstica, açafrão-das-indias, turmérico, açafroa ou açafrão-da-terra.
Não deve ser confundida com o Açafrão, pois é completamente distinta.

Da raiz da sua planta é que se obtém a especiaria e os suplementos de curcuma.

Conseguimos encontrá-la fresca, seca inteira, ou em pó ( mais comum ).
Quanto mais forte a sua cor, mais sabor e valorizada é.

Além da sua principal utilização como condimento, possui substâncias que trazem muitos benefícios à nossa saúde.
As suas raízes contêm um óleo essencial, além de substâncias corantes como a curcumina ( de coloração amarelo-avermelhada ), responsável pela grande maioria dos seus benefícios, particularmente o seu grande poder anti-inflamatório.
Serve também como corante de tecidos e tintas.

Benefícios / Efeitos

Como alimento

  1. Auxilia na redução da gordura localizada: A curcuma auxilia o metabolismo, e reduz o potencial inflamatório do tecido adiposo, favorecendo a utilização das gorduras como substrato energético em dietas de emagrecimento.
  2. Antioxidante: Neutraliza a ação de substâncias que oxidam e por isso deterioram as nossas células corporais.
  3. Anti-alérgica: Ajuda a reduzir a produção corporal de histaminas, que são substâncias que causam reações alérgicas e inflamatórias. A alimentação que se faz actualmente, muito à base de fast food, gorduras saturadas e açúcares, vai estimular e aumentar grandemente a produção de histaminas. Desta forma, utilizar a curcuma numa base regular é importante.
  4. Anti-inflamatória: Pensa-se que os princípios activos da curcuma podem diminuir a inflamação ao reduzirem a libertação de hormonas pró-inflamatórias e os níveis de histamina (que além de ser um alérgeno, é também um composto inflamatório) e, possivelmente, aumentando a produção da cortisona natural nas glândulas supra-renais, sem produzir uma irritação gástrica, nem afectar o sistema nervoso. Uma alimentação que não seja equilibrada, vai contribuir para o aparecimento de muitas doenças inflamatórias. Existem inúmeros estudos que demonstram uma diminuição da inflamação e consequente benefício, em casos de: problemas gastro-intestinais (vários estudos demonstraram que ajuda por exemplo a evitar a formação de gases no estômago, melhora a digestão, é anti-ulcerosa, protege a mucosa gastrointestinal – esta proteção estende-se à prevenção de tumores do estômago e à inibição da proliferação de células cancerosas no cólon). artrite reumatóide (ajuda a atenuar os efeitos desta doença, devido aos seus efeitos diuréticos e drenantes sobre o organismo), osteorartrite, Alzheimer, doença de Crohn, inflamação e doenças das vias respiratórias, diabetes e como referimos acima, na modulação da inflamação no tecido adiposo. Discute-se ainda, o papel que a curcuma poderá ter na prevenção de doenças inflamatórias, e não só na diminuição da inflamação já instalada.
  5. Auxilia na reparação muscular: Repara os danos oxidativos que ocorrem nas células musculares após a prática de exercícios físicos, sendo assim reconstituinte e energizante.
  6. Anti-cancerígena: Para além de prevenir o aparecimento do cancro, devido às suas substâncias anti-inflamatórias e anti-oxidantes, impede que ocorram multiplicações de células com alteração em seu DNA, e assim evita a formação de tumores.
  7. Hepato-protectora: Esta é uma das principais e mais reconhecida propriedade da curcuma. Para além de ser benéfica nos casos de problemas hepáticos e biliares, favorece o bom funcionamento do fígado, diminuindo os níveis do mau colesterol e triglicéridos, e aumentando o do bom colesterol. Auxilia a bílis a ficar mais fluida e aumenta o seu fluxo e, nalguns casos, contribui para o tratamento da hepatite A, B e C. Ao induzir à contração da vesícula biliar, parece prevenir a formação de cálculos biliares e contribuir para reduzir os existentes.
  8. Actua também como um potente agente anti-envelhecimento: Pelas suas propriedades antioxidantes e de proteção da nossa pele, ao actuar ao nível da proteção da elastina e do colágeno, que são responsáveis pelo tónus da nossa pele.
  9. Ajuda nos casos de imunodeficiência, melhora a circulação sanguínea, regula a menstruação e alivia as dores pré-menstruais
  10. O óleo extraído do rizoma da curcuma pode auxiliar na prevenção da contaminação por fungos.
  11. É uma alternativa ao uso de pesticidas e químicos usados na agricultura, pois possui uma capacidade antifúngica e antibacteriana.
  12. Estudos evidenciam que a curcuma é melhor absorvida pelo nosso organismo, e tem realmente um grande efeito terapêutico se usada e combinada como se mencionará à frente.

Em uso tópico

Podes usar esta fantástica raiz, no tratamento tópico de alguns problemas:

  1. Pele – Aplicada sobre a pele ( o pó directamente, ou em emplastro ), combate a dermatite, psoriase e fungos. É também um excelente cicatrizante quando colocada sobre um corte.
  2. Inflamação dos músculos e articulações – Aplicada também directamente sobre a pele alivia não só a inflamação, mas também a dor, uma vez que influencia as terminações nervosas ao anular a substância P – neurotransmissor dos receptores da dor.
  3. Úlceras na boca – Fazer gargarejos com pó de curcuma diluído em água acelera a cura das úlceras, devido ao seu poder anti-microbiano e anti-fúngico.

Precauções

Nenhum alimento é em si mesmo, milagroso, mas existem muitos alimentos naturais como a curcuma, que têm na sua composição substâncias muito benéficas. E se além disso, os combinarmos com outros, eles actuam em sinergia, potencializando as suas qualidades.

No geral, a curcuma é bem tolerada, no entanto deves ter em conta algumas considerações antes de a usares e ingerires:

  1. Evita a exposição ao sol durante longos períodos de tempo, se consomes curcuma em doses elevadas, já que os seus princípios activos parecem aumentar a sensibilidade às radiações solares.
  2. Em caso de úlcera gastroduodenal, evita o seu consumo em excesso ou durante muito tempo.
  3. Se tens cálculos biliares, deves consultar um profissional de saúde antes de a consumires.
  4. Durante a gravidez, atenção que pode causar contrações uterinas se ingerida em doses elevadas!

Cuidados

  1. O consumo excessivo pode causar dores de estômago e outros distúrbios gastrointestinais – se usares em forma de pó como condimento na comida, em princípio não corres o risco de dose excessiva.
  2. O uso de curcuma não é recomendado em casos de doença cardíaca congestiva, se tiveres cálculos biliares, cólica biliar aguda, doenças do fígado activas, gravidez (ou em caso de amamentação) e distúrbios de coagulação do sangue.
  3. A suplementação com curcumina pode influenciar o efeito de medicação/suplementação anti-coagulante (varfarina, aspirina, ginseng, alho, ginkgo biloba) e de medicação anti-inflamatória.

Quantidade Diária

  • Enquanto suplemento, não existe uma dose recomendada, mas 500mg de curcumina, 2 a 4 vezes por dia já demonstraram efeito anti-inflamatório e de alívio digestivo.
  • Sempre que possas, se gostas do aroma e sabor, usa curcuma na preparação das tuas refeições ou faz infusões.
  • Não existe uma dose diária recomendada, mas é importante verificar as limitações de cada organismo e personalizar a dose.
  • No geral, aconselha-se um consumo máximo à volta de 1/2 colher de sopa por dia, já trás os benefícios referidos.

- As especiarias e ervas aromáticas são fantásticas, e há que aproveitar os benefícios que nos podem trazer pelo seu uso no dia a dia.
  • Em algumas situações a suplementação pode justificar-se para um efeito mais marcado.

Utilização

Gastronomia

  •  Em pó:

Por ter cor amarela e um sabor muito característico e forte, utiliza-se na culinária para dar cor a pratos de sabor mais doce e para pratos de peixe ou carne, já que mascara o sabor mais intenso destes.
Na Índia é muito usada com feijões e lentilhas.
Confere uma cor agradável a molhos, sopas e pratos de arroz, batatas, vegetais, ovos, e até em receitas de biscoitos e bolos.

É um dos componentes da mistura de caril.

  • Raiz fresca:

A curcuma fresca é muito fácil de usar:

descasca, depois pica, fatia ou rala e utiliza depois em preparações diversas. 

O seu sabor é mais fresco do que a especiaria em pó e é ligeiramente cítrico e picante lembrando vagamente o gengibre.

Fresca, é usada também em picles (fatiada) o que dá cor aos restantes alimentos presentes no frasco de picles, ajudando também a preservá-los.

  • Raiz seca:

Pode ser também moída e utilizada juntamente com outros temperos para fazer uma pasta.
Podes depois refogá-la num pouco de azeite, ou ghee, ou óleo de sésamo, como fazemos com o alho e a cebola, para depois juntar os outros ingredientes (vê abaixo as proporções).

Cuidado ao Usares!

Cuidado pois ao utilizares a curcuma, ela vai manchar as tuas mãos, tecidos e utensílios, que devem ser lavados imediatamente com água e sabão – podes optar por usar umas luvas, assim não manchas as mãos.

Medicinal

  • Para os que não apreciam o sabor da curcuma, é possível consumi-la na forma de cápsulas, como um suplemento alimentar.
  • Em pó ou fresca: para que possa ser bem absorvida e possas tirar o máximo benefício das suas propriedades, quer seja numa normal refeição ou como medicamento, deves utilizá-la da seguinte forma, com os seguintes alimentos: 90% de curcuma + 5 % de gengibre + 5 % de pimenta preta, e um pouco de azeite, OU óleo de coco, Ou óleo de linhaça, Ou de Ghee, para envolver a mistura e poder ser usada na comida ou em preparações específicas.

*É utilizada também na indústria alimentar como corante e o seu aroma usado em perfumes.

Armazenamento

O rizoma fresco dever ser guardado em local fresco e seco ( ex. Frigorífico ), conservando-se em boas condições por mais ou menos duas semanas.
Podes embrulhar por ex. em papel como fazemos com o gengibre, mas não coloques dentro de um saco plástico, pois pode criar bolor. 

Todas as especiarias em pó devem ser guardadas em frascos bem fechados longe da humidade e calor.

Os Anti-inflamatórios naturais são sempre uma forma de fugir aos efeitos secundários da medicação anti-inflamatória, experimenta a CURCUMA !

Deixamos-te aqui uma receita de Molho para Saladas, agora que está a chegar a primavera, sabe bem!

Molho para Saladas

Ingredientes:
– 4 c/sopa de azeite
– 1 c/sopa de sumo de limão e/ou 2 c/sopa de sumo de laranja
– 1 c/chá rasa de curcuma em pó
– 1 boa pitada de pimenta preta em pó
– 1 c/sopa de sementes de linho ou linhaça

Prepara só no momento de servir para não perder a vit. C do sumo.
É um molho com verdadeiras propriedades medicinais, reúne uma série de alimentos, todos com propriedades anti-cancerígenas:
a curcuma, a vit.C, a vit. E do azeite, o ómega – 3 das sementes…
É também excelente para evitar doenças cardio-vasculares.



Facebook Comments Master

Share This

Share this post with your friends!